quarta-feira, 23 de maio de 2007

EMMANUELLE TROPICAL

"Como aconteceu com o cinema italiano e até o japonês (dentre os que ora lembramos) o cinema nacional não poderia ficar alheio ao êxito internacional do pioneiro e celebrado "porno" francês de Just Jaeckin que lançou a holandesa Sylvia Kristel e criou uma nova espécie de voga ou de psicose cinematográfico-erótica. Como não pudemos ver a obra original, aqui está (sem cortes?) o filme nacional, encomendado pela exibidora-produtora Hawai a José Marréco, o co-diretor de "Fantasticon, os Deuses do Sexo", de "Núpcias Vermelhas" e da última versão do "A Carne", de Julio Ribeiro. Com o proverbial cuidado de imagem em que Marréco sempre se esmera quando é diretor e iluminador e com um tipo de filosofia erótico-existencial-contestatória típica de quase todos os alunos de comunicações das USPs que temos conhecimento, este "Emmanuelle Tropical" é uma fita que junta certos elementos do "Les Liasons Dangereuses" de Vadim, com os extravasamentos ou algumas das "audácias" do filme de Jaeckin. E, se bem não tenha possa ter a dose de europeismo do filme com Gerard Philippe, Jeanne Moreau e Annette Stroyberg, a tornar-lhe plausível o cinismo lúdico dos personagens, tem uma produção razoavelmente rica em recursos materiais e a habitual expontaneidade e "charme" de Monique Lafond, além de uma surpreendente aparição de Matilde Mastrangi. A rafaelina e belíssima Selma Egrei não coube uma oportunidade efetiva."

Publicado originalmente no "O Estado de S. Paulo" de 25/09/77.

9 comentários:

Ronald Perrone disse...

mais uma beleza de crítica, só pra constar...

sergio disse...

Ronald, é muito bom esse retorno, pois é um incentivo para que eu continue publicando as críticas.
Não é fácil manter dois blogs atualizados!
Abraço.

Graciele disse...

Oi, Sergio! Eu ainda não tinha tido a oportunidade de destrinchar bem o blog, mas hoje - felizmente- pude fazê-lo. Uma delícia!! Que legal poder ter acessos a textos como esses!
(agora as visitas serão diárias, como no Kinocrazy; é que eu precisava fazer a primeira visita com tempo e cuidado. Um beijo!

sergio disse...

Graciele, obrigado pela audiência super qualificada :)
Beijo!

Ronald Perrone disse...

Sei como deve ser difícil Sérgio, mas sempre terá leitores em ambos os blogs. E como é bom poder ler Biáfora, uma verdadeira aula... ainda mais pra mim que não teve a acesso... não era do meu tempo...hehehe
Abraços!

sergio disse...

Fico feliz que esteja gostando,Ronald!
Pode ficar tranquilo que não vou parar com o blog, não rsss
Abraço!

Michael Carvalho Silva disse...

Belíssima imitação nacional do clássico erótico francês "Emmanulle" com a saudosa musa holandesa Sylvia Kristel que não deixa nada a dever ao original. Destaque para as esplendorosas belezas nacionais Monique Lafond como a protagonista Emmanuelle, Selma Egrei sempre linda, Matilde Mastrangi e a jovem e deslumbrante Tânia Alves em início de carreira e para o galâ global Marcos Wainberg todos antes de se tornarem famosos.

ADEMAR AMANCIO disse...

Saiu no Estadão!

Sergio L. Andrade disse...

Sim, pode acreditar! Outros tempos!