segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

SHAMPOO ("Shampoo")


"As astucias e a “dolce vita” de um cabeleireiro de senhoras que utiliza o estigma da profissão para melhor poder conquistar as clientes ricas e avoadas, belas e sedutoras (só que não sabemos se os dois últimos atributos podem, em sã justiça, ser aplicados a Julie Christie e Goldie Hawn, sem graça a primeira e uma caricatura, a segunda). O filme constituiu grande êxito nos EUA e foi candidato a vários “Oscars” importantes, mas ganhou só o de melhor atriz coadjuvante, atribuído à veterana Lee Grant, que aliás já havia sido candidata ao mesmo troféu há um quarto de século, com seu desempenho de uma ladra em “Chaga de Fogo” (“Detective Story”), de William Wyler. “Shampoo” foi produzido, co-escrito e estrelado por Warren Beatty, o absurdo, senão duvidoso irmão de Shirley MacLaine. Mas segundo a crítica é obra brilhante, embora não tão analítica quanto o assunto permitia, assunto aliás que, parcialmente e noutro tom, mas com muita criatividade foi antecipado principalmente pela interpretação de Erasmo Carlos no filme nacional “Os Machões”.”

Publicado originalmente no “O Estado de S. Paulo” de 23/05/76